Diretor: Paulo Menano

Festival Mêda+ chega ao fim por “dificuldades financeiras”

Dificuldades financeiras levaram a Associação Juvenil Mêda Mais a acabar com o festival de música de verão Mêda+ que era organizado desde 2010 na cidade de Mêda, distrito da Guarda.

Um dos maiores festivais do Interior do país, e também com mais expressão, não será realizado este ano. A organização alega dificuldades financeiras para justificar o cancelamento deste festival de verão e admite que seja mesmo o fim do Mêda +.
Segundo Pedro Rebelo Pereira, da organização, pela primeira vez, a organização do evento musical viu-se “numa situação de dívida”.
“Nós [Associação Juvenil Mêda Mais] organizávamos o Mêda+ desde 2010. Tivemos sempre muito cuidado com os apoios que tínhamos, com os meios que tínhamos, fazer o equilíbrio entre as receitas e as despesas. Em 2018, não conseguimos cumprir o pagamento a todos os fornecedores”, disse Pedro Rebelo Pereira. “Tentámos, até agora, através de todos os meios, nomeadamente através da Câmara Municipal [de Mêda] solucionar esta questão. Ou através de um apoio público extraordinário ou através de um patrocínio que pudesse ser encontrado”, acrescentou.
Pedro Rebelo Pereira disse que a organização percebeu no início deste mês que “essas tentativas tinham sido falhadas” e concluiu que não tem “quaisquer condições para realizar o festival este ano”. Já sobre a possibilidade de o mesmo ser realizado nos anos seguintes, referiu que os elementos da organização, de momento, não têm vontade de continuar a colocar os seus esforços e as suas ideias ao serviço do projeto. Como as negociações com a autarquia ainda decorrem, a direção da associação não revela, por enquanto, os valores da dívida.

Mêda+ deu “motivos de orgulho à Mêda”
O festival de música Mêda+, que foi realizado entre 2010 e 2018, deu “motivos de orgulho à Mêda”, segundo o mesmo elemento da organização.
“Frustra-nos um pouco não podermos chegar à 10.ª edição porque seria uma edição especial e comemorativa de uma década de festival. Já estava toda pensada na nossa cabeça, já tínhamos feito contactos no sentido de ter um ‘design’ comemorativo. Mas, enfim, não conseguimos”, disse Pedro Rebelo Pereira. Segundo o responsável, a organização nunca conseguiu “marcas que quisessem apoiar o festival” que se realizava num concelho do interior do país, no distrito da Guarda, “porque as marcas viram-se para eventos de maior dimensão, no litoral”.
Pedro Rebelo Pereira lembra que o evento atraiu para a cidade de Mêda, ano após ano, “pessoas de todo o país”. “Sentimos que, à nossa medida e à nossa escala, tivemos alguma importância naquilo que é o circuito de festivais de verão no país”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ao continuar a usar o site, você está a concordar com a utilização de cookies. mais informação

As configurações de cookies neste site são definidas para "permitir cookies" para fornecer a você a melhor experiência de navegação possível. Se continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, você concorda com isso.

Close