Mais Beiras Informação

Informação regional

“Pretendemos que o cidadão tome consciência da importância da boa gestão da água no dia-a-dia”

Quem o diz é Bruno Costa, vereador da Câmara Municipal de Fornos de Algodres, responsável pela campanha “A água Não Dura Sempre. Poupe-a.” promovida pelo Município.

A pouco mais de um mês do término desta iniciativa, o responsável pela área ambiental da autarquia fala-nos dos objectivos da mesma, a forma como está a ser implementada no terreno, não esquecendo os novos desafios de cariz ambiental para o concelho. Em estudo está a colocação de novos ecopontos no concelho, a total abolição dos copos de plástico em atividades do Município e novos pontos de recolha de resíduos no Festival da Biodiversidade. Em curso está também o desenvolvimento de um sub-portal, exclusivo para o setor ambiental, integrado no site da autarquia e que estará disponível no final deste mês.

“A água Não Dura Sempre. Poupe-a.” é o slogan de uma campanha da autarquia de Fornos de Algodres. Como surgiu a ideia e qual o objetivo?
No passado dia 28/08/2018, na presença do Sr. Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, o Município de Fornos de Algodres assinou o contrato ao aviso do Fundo Ambiental “Promover o Uso Eficiente da Água”. Inserido na Estratégia Nacional de Educação Ambiental 2020, a campanha tem como objetivo sensibilizar toda a população para as necessárias mudanças de comportamentos e de hábitos na boa gestão e poupança da água.

Até quando se prolonga e de que forma está a ser implementada?
A campanha teve início em agosto e prolongar-se-á até ao final de novembro. Na verdade, esta é uma “campanha-relâmpago”, cujo prazo de execução decorre num curto espaço de tempo. Nesse sentido, desde agosto temos vindo a divulgá-la através de várias iniciativas, como por exemplo: iniciativas publicitárias em jornais de âmbito nacional, regional e local, na televisão, com um SPOT publicitário na RTP, SIC e TVI, através de SMS, na rádio, em comunicação no site e nas redes sociais, entre outos meios de comunicação. A nível local, temos atualmente em Fornos de Algodres quatro outdoors dinâmicos, cuja mensagem será alterada para que a informação, sobre uso eficiente da água, chegue de uma forma diversificada às pessoas. Para além de termos feito uma ação de sensibilização na escola, também distribuímos flyers e oferecemos pacotes de açúcar, alusivos à campanha, em espaços comerciais, nomeadamente cafés. Desta forma pretendemos que a mensagem chegue ao máximo de pessoas possíveis.

A iniciativa insere-se na campanha nacional do Fundo Ambiental com a temática “Uso Eficiente da Água”. De que forma o governo apoia a medida?
Com o objetivo de garantir os compromissos, nacionais e internacionais, assumidos por Portugal no domínio da sustentabilidade, como por exemplo o Acordo de Paris, o atual governo delineou para o nosso país a Estratégia Nacional de Educação Ambiental (ENEA). A principal missão desta estratégia visa alertar, informar e capacitar crianças, jovens e restante sociedade civil para o futuro do planeta. A candidatura do Município, inserida nesta estratégia nacional, é cofinanciada a 70%.

Qual o objectivo da campanha e de que forma melhorará a gestão da água no concelho?
O objetivo principal da campanha é o de sensibilizar a população que a água é um bem escasso e, que cada um de nós tem um papel fundamental para a sua preservação. Apesar de a campanha ainda não ter terminado, tenho recebido informações positivas dos nossos técnicos. A título de exemplo: o número 800 202 557, exclusivo para os munícipes poderem ligar em caso de detetarem uma rotura, teve um maior número de chamadas. Este é um indicador que nos deixa satisfeitos, não pelo número de roturas, mas sim, pela informação de sensibilização estar a chegar às pessoas. No final da campanha, iremos estudar detalhadamente os consumos, compará-los com o período homólogo, e assim concluirmos se a mensagem chegou a todos os munícipes. Estou esperançado.

Existe um número gratuito disponível 24 horas para que os munícipes possam transmitir ocorrências. As pessoas aderem já a estas situações ou pretende-se também fomentar a participação do cidadão comum nos problemas da rede pública?
Sim, pretendemos que o cidadão participe ativamente nesta causa. Existe de facto o número 800 202 557, gratuito, que funciona 24 horas por dia, que existindo anteriormente à campanha, raramente era utilizado. Nesse sentido, achámos por bem introduzir o número em alguns meios informativos – flyers e outdoors – para que os munícipes possam reportar avarias e roturas que encontrem na via pública, para, de uma forma célere, os nossos técnicos possam agir e assim evitarem desperdícios de água.

Foi assinado um protocolo no início de outubro com o Instituto Politécnico da Guarda (IPG) que garante a monitorização da qualidade da água dos fontanários públicos do concelho. Como se vai desenrolar esse protocolo?
O protocolo aprovado em reunião de Câmara, destina-se a fontanários não ligados à rede pública, ou seja, minas, poços e furos. O protocolo abrange não só os fontanários sob responsabilidade das Junta de Freguesia, como também todos os munícipes que estejam interessados em ver a sua água analisada. Caso o munícipe esteja interessado em analisar a água do poço, furo ou mina deverá contactar os serviços da Câmara Municipal ou da sua Junta de Freguesia. Informo que a próxima recolha de água por parte dos técnicos especializados do IPG, está agendada para dia 5 de novembro. Serão realizadas análises de dois em dois meses. Do levantamento efetuado na primeira recolha, no dia 4 setembro, a Câmara Municipal é responsável por 23 fontanários. No entanto, quer as juntas de freguesia, quer os munícipes podem solicitar análises directamente ao IPG ao preço do protocolo e, nesse caso, a autarquia serve apenas como elo de ligação. Dizer-lhe que estou a receber pessoas quase todas as semanas aqui na Câmara Municipal a pedirem análises. Este é o indicador esperado.

Que parâmetros vão ser analisados?
Quem conhece esta matéria sabe que existem imensos parâmetros que poderiam ser analisados. Apesar desse facto, e por indicação do laboratório de águas, cerca de 90 % dos parâmetros analisados são os microbiológicos. Estes, de acordo com os técnicos especializados do IPG, são indicadores suficientes para compreendermos se a água dos nossos fontanários, não ligada à rede pública, está em boas condições para ser ingerida.

Em cada fontanário analisado será disponibilizada um sinal de cor verde ou vermelha. Uma mensagem simples para que chegue a todos? Pode a população ficar descansada quanto à qualidade da água?
No âmbito do protocolo celebrado com o IPG serão feitas análises às águas dos fontanários públicos sob alçada da câmara e nesses são disponibilizados dois tipos de informação à população: por um lado temos expositores com informação detalhada das análises, por outro uma mensagem simples traduzida na cor verde ou vermelha. Se a cor patente no fontanário for verde, as pessoas podem beber à confiança, se for vermelha, a água é imprópria para consumo. Para além disso, toda a informação estará disponível nos editais das juntas de freguesia, site da autarquia, redes sociais e outros meios de comunicação.

Um dos públicos-alvo desta campanha são as crianças em idade escolar. A pensar nelas o município criou um vídeo de animação. Qual a mensagem que pretendem passar aos mais jovens? O objectivo é começar desde já a mudar mentalidades?
Sim, sem dúvida. A mensagem ser difundida na escola é importante. A forma como a mensagem chega às nossas crianças é fundamental e, por isso, tem de ser uma mensagem simples, precisa e continua no tempo para que a possam assimilar e transmitir aos pais, vizinhos e amigos. Nesse sentido, e no âmbito do Dia Nacional da Água que se assinalou a 1 de outubro, foi feita uma animação lúdica realizada exclusivamente para o Município de Fornos de Algodres, mas que pode, e deve, vir a ser utilizada por outros municípios, e que visa dar a conhecer às crianças não só formas de poupança de água, mas também algum do património existente no concelho.

No dia 01 de Outubro, assinalou-se o Dia Nacional da Água. Que iniciativas foram realizadas?
Com o objetivo de assinalar essa data, foi promovido durante o dia várias atividades alusivas à importância da água e do seu uso eficiente no dia-a-dia. De manhã as crianças do 1.º Ciclo, visitaram o Espaço Museológico do Moinho de Água da Rapa (Celorico da Beira), com o objetivo de compreenderem o papel fundamental da água no funcionamento do moinho. Em simultâneo, aqui em Fornos de Algodres, e com o arranque do projeto “Fornos Vida”, foram entregues garrafas personalizadas a todos os participantes alusivas à poupança de Água. Durante a parte da tarde, as nossas crianças tiveram a oportunidade de assistirem a um teatro, intitulado “A Viúva e o Papagaio – A Importância da Água”, onde para além da entrega de garrafas da campanha, tiveram a oportunidade de aprender diferentes mensagens de poupança de água. O ponto alto deste Seminário Ambiental Infantil, no meu ponto de vista, foi a exibição de um vídeo de animação, intitulado “Mondeguinho e o Tesouro da Água”.
Quero aproveitar a oportunidade para expressar publicamente uma palavra de agradecimento a todos os professores e auxiliares pela ajuda dada e pelo empenho nas atividades.

Como responsável pelo pelouro do Ambiente, quais são os próximos desafios com que se vai deparar até final do seu mandato? O que falta fazer a nível ambiental em Fornos de Algodres?
Falta fazer muito. Estamos preparados e a estudar cada vez mais soluções para, enfrentar o novo desafio das “Alterações Climáticas”. Queremos acompanhar a Estratégia Nacional. A área do Ambiente é muito vasta e nunca está estagnada. Engloba setores como o da água para consumo, o tratamento das águas residuais, a gestão de resíduos, energia, entre outros. E será nestes eixos que iremos estar focados e apostar já no próximo orçamento. Mas, posso adiantar-lhe que está pensada uma estratégia para minimizar o impacto ambiental no recinto do Festival da Biodiversidade, que irá passar pela abolição total dos copos de plástico e aumentar os pontos de recolha de resíduos. No setor dos resíduos, estamos a analisar e desenvolver uma parceria com a RESIESTRELA para implementação de novos ecopontos no concelho. Paralelamente, no site do município, estamos a desenvolver um sub-portal exclusivamente direccionado para a área do Ambiente. O objetivo deste sub-portal é agregar toda a informação relacionada com a área do ambiente do Município de Fornos de Algodres e das boas práticas que estão a ser implementadas a nível nacional. O sub-portal estará disponível no final do mês de outubro.
Gostaria de agradecer ao Notícias de Fornos de Algodres pelo convite para esta entrevista e, apelo, novamente, para que a comunicação social não se lembre só da água em anos de seca extrema. O futuro do Planeta está nas nossas mãos, incluindo a comunicação social.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ao continuar a usar o site, você está a concordar com a utilização de cookies. mais informação

As configurações de cookies neste site são definidas para "permitir cookies" para fornecer a você a melhor experiência de navegação possível. Se continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, você concorda com isso.

Close