Diretor: Paulo Menano

Presidente da Câmara de Tondela pede estado de calamidade para o concelho

O presidente da Câmara Municipal de Tondela, José António Jesus, solicita que o Governo declare estado de calamidade para o concelho, depois de a maioria das plantações agrícolas terem sido dizimadas pelo mau tempo.

Numa carta enviada, no dia 14 de junho, à ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, o presidente da Câmara Municipal de Tondela alude à “extrema violência e severidade” das inusitadas condições meteorológicas do passado sábado, dia 12 de junho, que afetaram com “uma força indescritível” grande parte do concelho.

“As rajadas de vento, trovoada e granizo, a que se associou uma inquantificável carga de água, constituíram uma força de destruição que dizimou a generalidade das plantações agrícolas, muitas de agricultura familiar, com especial incidência nos pomares e nas vinhas”, descreveu.

No documento, José António Jesus sublinha que este é um setor de atividade expressivo para a região, em particular na área demarcada dos vinhos do Dão, sendo evidentes os impactos sociais e económicos negativos de tal intempérie.

“Interpretando o sentimento de fragilidade que estes produtores agrícolas estão a viver, e a ausência de estrutura económica que assegure a perca sentida e os inevitáveis investimentos visando a reestruturação das suas plantações, venho solicitar a V.exa. que desencadeie a instrução do Estado de Calamidade, a declarar pelo Governo, visando a atribuição de apoios públicos tão justos e necessários, face à situação descrita”, acrescentou.

A intempérie do último sábado causou ainda danos em vários equipamentos, habitações, viaturas, inundações e quedas de árvores.

Ao continuar a usar o site, você está a concordar com a utilização de cookies. mais informação

As configurações de cookies neste site são definidas para "permitir cookies" para fornecer a você a melhor experiência de navegação possível. Se continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, você concorda com isso.

Close