Diretor: Paulo Menano

Museu do Côa expõe labirintos inventados por Cruzeiro Seixas

A exposição “Nos Labirintos que Inventei”, da autoria do artista português Cruzeiro Seixas, um dos precursores do movimento surrealista em Portugal, está patente no Museu do Côa, em Foz Côa, até ao próximo dia 30 de junho.

“Esta exposição ambicionou reunir um conjunto representativo de vários monumentos da criação do mestre surrealista, desafiando o público a embarcar numa viagem de descoberta e de sonho”, explica a comissária da exposição, Alexandra Silvano.
Cruzeiro Seixas, 98 anos, soma mais de sete décadas de produção artística, entre os primeiros momentos do Grupo Surrealista de Lisboa e a sua exposição inaugural, em 1949, e um percurso que remonta à infância, em que desenhava os seus próprios brinquedos.
A comissária Alexandra Silvano, por seu lado, adiantou que, na exposição no Museu do Côa, além de pinturas, desenhos e objetos, estão também expostos quatro ‘cadavre-exquis’, que Cruzeiros Seixas realizou com outros artistas, num “exercício surpreendente” de imaginação coletiva.
O Museu do Côa, em Vila Nova de Foz Côa, tem patentes cerca de quatro dezenas de peças de Cruzeiro Seixas, que, pela primeira vez, estão expostas na região Trás-os-Montes e Alto Douro.”Esta exposição no Museu do Côa é também uma chamada de atenção para as pessoas, para um movimento cultural tido como revolucionário na sua época como é o Surrealismo, uma corrente que abarca áreas, tais com a pintura, a poesia, o cinema, entre outras”, vincou a comissária da exposição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ao continuar a usar o site, você está a concordar com a utilização de cookies. mais informação

As configurações de cookies neste site são definidas para "permitir cookies" para fornecer a você a melhor experiência de navegação possível. Se continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, você concorda com isso.

Close