Mais Beiras Informação

Informação regional

IPG quer transformar Pousada da Juventude em residência para estudantes

O presidente do Instituto Politécnico da Guarda (IPG) quer alojar os alunos que frequentam aquela instituição de ensino numa Pousada da Juventude. Joaquim Brigas já fez chegar ao Governo uma proposta a propor a adaptação da Pousada da Juventude local a residência de estudantes.

Segundo refere o estabelecimento de ensino em comunicado, a falta de alojamento para estudantes “é um dos principais obstáculos ao aumento de alunos do ensino superior na Guarda”, motivo pelo qual o presidente do IPG propõe “a adaptação da Pousada da Juventude da Guarda para residência de estudantes do IPG ao abrigo do Plano Nacional de Alojamento para o Ensino Superior, anunciado pelo Governo”.
A proposta foi enviada esta quinta-feira, 31 de janeiro, aos secretários de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Sobrinho Teixeira, e tem “algumas contrapartidas”. Caso a Pousada da Juventude entre no plano de alojamento para o ensino superior, o IPG compromete-se a “disponibilizar quatro quartos dessa residência para jovens turistas ao longo de todo o ano” e a disponibilizar, durante as férias do verão, “a totalidade dos 16 quartos” para jovens que visitem a cidade. Durante as férias de verão, o presidente do IPG também promete “disponibilizar pelo menos mais 20 quartos das residências de estudantes do IPG para os jovens turistas, mais do que duplicando desta forma a capacidade máxima potencial da Pousada da Juventude da Guarda quando esta funcionava”.
Integrar no IPG eventuais trabalhadores que estejam adstritos à Pousada e alojar na futura residência professores e estudantes ao abrigo do Erasmus+ e de outros programas de mobilidade, bem como dar aos hóspedes acesso às suas cantinas e a uma grande sala de estudos multimédia a criar no edifício, são outros dos propósitos. “Com esta proposta, temos dois objetivos: aumentar o número de alunos do IPG, combatendo o problema do alojamento de estudantes que querem vir estudar para cá e que não têm onde morar; e atrair mais jovens para a cidade durante as férias”, afirma Joaquim Brigas, citado no comunicado.

Segundo o comunicado, Joaquim Brigas não entende a oposição do presidente da Câmara da Guarda, Álvaro Amaro, que foi tornada pública em reuniões da Assembleia Municipal, à transformação da Pousada da Juventude em residência estudantil. “Não se compreende o adiar da resolução do problema da Pousada da Juventude, que está fechada há sete anos, tal como não se compreende a oposição a criar uma nova residência de estudantes no centro da cidade, perto das cantinas e das outras residências do IPG, colmatando desta forma a débil rede de transportes públicos urbanos”, justifica o presidente do IPG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ao continuar a usar o site, você está a concordar com a utilização de cookies. mais informação

As configurações de cookies neste site são definidas para "permitir cookies" para fornecer a você a melhor experiência de navegação possível. Se continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, você concorda com isso.

Close