Diretor: Paulo Menano

Guarda é responsável por 44 por cento das exportações da região

A Guarda voltou a ser, em 2017, o concelho mais exportador da região das Beiras e Serra da Estrela. A venda de mercadorias ao estrangeiro por parte das empresas locais cresceu mais de 10 milhões de euros relativamente ao ano anterior e ultrapassou os 227 milhões de euros (ver quadro). A cidade mais alta já é responsável por 44 por cento das exportações realizadas na comunidade intermunicipal.

Segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE), no ano transato as empresas da CIMBSE venderam ao exterior um volume de 517.330.318 euros, com a Guarda a permanecer na liderança deste ranking desde 2013 graças, sobretudo, ao “cluster” da indústria de componentes e cablagens para automóveis. O segundo concelho mais exportador é a Covilhã, que registou em 2017 o maior crescimento da região, uma vez que a venda de mercadorias para o estrangeiro cresceu mais de 22,2 milhões de euros. Outra subida assinalável verificou-se em Aguiar da Beira (que pertence à comunidade intermunicipal de Viseu Dão Lafões), que duplicou o volume de vendas, de 824 mil euros em 2016 para mais de 1,6 milhões em 2017. De acordo com os números do INE, o valor das mercadorias exportadas aumentou na globalidade em todos os concelhos da região, mas houve exceções. Foi o caso de Celorico da Beira, onde as exportações diminuíram cerca de um milhão de euros, e Trancoso, que registou uma quebra de 246.905 euros. Também em Seia as empresas locais venderam menos 239.166 euros ao exterior.

No contexto do interior, a Guarda é também a capital de distrito mais exportadora, vendendo quatro vezes mais mercadorias ao estrangeiro que Castelo Branco (52,7 milhões de euros). Relativamente a Viseu (79,7), a cidade mais alta exportou duas vezes mais. No entanto, a comparação já não é favorável à Guarda quando colocada ao lado de Bragança (674,1 milhões de euros) ou de concelhos mais pequenos como Mangualde (371,6 milhões de euros) ou Tondela (429,6 milhões de euros), onde se situa um dinâmico setor industrial vocacionado para a exportação.

Fonte:ointerior.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ao continuar a usar o site, você está a concordar com a utilização de cookies. mais informação

As configurações de cookies neste site são definidas para "permitir cookies" para fornecer a você a melhor experiência de navegação possível. Se continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, você concorda com isso.

Close