Diretor: Paulo Menano

CRISTINA GUERRA: “É IMPORTANTE FIXAR E NÃO DEIXAR PARTIR MAIS NINGUÉM”

O noticias de Fornos de Algodres vai dedicar especial relevo às autárquicas 2017, numa perspetiva de divulgar o que cada um ambiciona para o desenvolvimento futuro de Fornos.

Com esta iniciativa pretende-se que os Munícipes também se inteirem do que pensam os candidatos.

O Noticias de Fornos foi assim ao encontro da candidata pelo CDS, Cristina Guerra, que desempenha funções como funcionário tributária, no qual também pertence à Assembleia Municipal de Fornos de Algodres.

Quais os motivos da candidatura?

Penso que cumprimos a missão; a estrutura do CDS  em Fornos e eu enquanto Líder , sempre nos pautámos por uma “Oposição Construtiva”, relativamente à Gestão Municipal, aliás… A única Oposição.

O PSD, sempre se absteve de exercer o Poder que o Povo através do Voto lhe conferiu, estes quatro anos “para o bem e para o mal” são da inteira responsabilidade quer do PS, quer do PSD, o PS porque tem maioria na Câmara e, o PSD porque possuí maioria na Assembleia, se não eu interrogo… Qual foi a Proposta relevante apresentada pelo PSD ?… Qual a Deliberação importante em que o PSD votou Contra ?… Eu respondo em nenhuma, designadamente Orçamentos, PDM ou FAM, ou seja… Nunca manifestou a sua discordância através do Voto Deliberativo.

Eu estou na Política por Fornos, a Política não me deve nada e eu também não devo nada ao Poder Político, não existindo qualquer tipo de interesse, aliás todas as pessoas que me acompanham e fazem parte da lista, estão em iguais circunstâncias.

Existe um “défice democrático” em Fornos, as pessoas têm muito receio de se pronunciarem á cerca do que quer que seja, exatamente porque receiam represálias ou desfavorecimentos, teme-se pelo emprego, pelo negócio, pelos que nos são próximos, qual Ditadura renovada e silenciosa.

A minha Candidatura, surge exatamente porque queremos que Fornos de Algodres consiga “virar a página”, que conheça finalmente o Desenvolvimento e respire Liberdade, com Rigor apoiado nos Valores, com Verdade e principalmente com Soluções.

Porque motivos Fornos não evoluiu a nível industrial?

Porque não se “trabalhou”nesse sentido, quantas Empresas e “Postos de Trabalho” foram criados pelo bendito e amplamente propagado Empreendedorismo?… Qual o esforço desenvolvido na Captação de Empresas e Investimento? Ficamos apenas com a questão, porque os resultados são desconhecidos.

Nós vemos esta Gestão e até pensamos que Fornos está estruturado para ser uma Empresa de Eventos. Durante estes quatro anos, não houve nenhum trabalho de fundo, houve sim uma boa “máquina de divulgação eventos”, realizou-se uma excelente Feira do Queijo e seus inerentes e avultados custos; têm-se realizado ótimos eventos, mas só isso não satisfaz as necessidades de Trabalho a«dos fornenses, não consegue fixar os as Pessoas.

Em conclusão, a nível Industrial (e não só), está praticamente tudo por fazer e relativamente ao atual Executivo, não é conhecida qualquer estratégia  para o desenvolvimento de Fornos.

Futuramente quais os sectores em que se deveria investir?

Sem dúvida os sectores da Agricultura e Turismo, eles complementam-se e carecem das devidas  sinergias, na nossa perspetiva.

 A estratégia do CDS é conseguir que as Empresas existentes consigam “Novos Mercados”, é imperioso apoiá-las  nomeadamente na Internacionalização e Mercado Nacional, permitindo ganhar escala..

É absolutamente necessário apostar fortemente na Agricultura, porque nós somos um concelho agrícola. Não podemos fingir que estamos muito vocacionados para os serviços, porque realmente  a nossa herança  profunda e estrutural reside na agricultura.

Fornos de Algodres, foi o concelho que eu escolhi para ser o meu concelho, por que eu nasci em Moçambique e quando cheguei a estas terras em 76, existiam várias vinhas, que atualmente estão desaparecidas quase completamente, lembro que Fornos pertence á Região Demarcada dos Vinhos do Dão e atualmente eu não vislumbro nenhuma grande vinha ou projeto.

O CDS não pensa numa agricultura de há 30 anos, pensa sim numa modernização da Agricultura.

A Câmara tem Técnicos muito vocacionados para a Agricultura, sendo de primordial importância que esses “Gabinetes” tenham  objetivos, motivação e postura pro-ativa, que permita ir ao encontro dos agricultores; que convidem os agricultores a investir e não o contrário.

Já pensaram em fazer um plano de marketing territorial a pensar no futuro de Fornos de Algodres?

Claro que sim, a titulo de exemplo relativamente ao “marketing territorial”, uma das grandes inspirações do CDS para Fornos é criar a marca  “Fornos”.

Em primeiro lugar nós temos que de facto desenvolver e potenciar aquilo que Fornos tem de melhor e depois sim, criarmos um plano de marketing.

Quais os projetos em mente para Fornos de Algodres?

Como referido anteriormente, passa pela Agricultura e Turismo.

A nível Agricultura e resultante de uma articulação com o Ministério da Educação e a C+S, o nosso Projeto prevê uma oferta formativa , com Ensino Profissional vocacionado para a Agricultura.

A mim causa-me grande desconforto, ver uma Quinta como a do Seminário,  estagnada e  improdutiva, a solução que propomos é a criação de uma Escola  Agrícola. Sendo necessário conceber e materializar os Protocolos com a Diocese de Viseu e os Ministérios da Educação e Agricultura.

O nosso Projeto, pretende a criação do Gabinete Agrícola e de uma Cooperativa Agrícola efetiva, que possibilite uma correta utilização dos solos e da água, constituída essencialmente por Agricultores, Produtores e Tratoristas, que saiba o que produzir, com que escoamento e, com que mão-de-obra promovendo o Emprego e rentabilização.

Se é verdade que precisamos de novos produtos, também é verdade que necessitamos valorizar os produtos endógenos que nos identificam, como o Queijo e a Urtiga.

Reflorestar é preciso, para isso são necessários os meios e os critérios, sendo esta uma matéria que requer um estudo profundo.

Quanto ao Turismo, é primordial rentabilizar o investimento no Hotel, lembro que o Município detém 15% da Empresa Terras Serranas, pelo que se impõe salvaguardar os interesses Publico e Privado, criando sinergias vantajosas.

O CDS, pretende também reanalisar e solucionar de forma rentável o Dossier Inatel, visto que é um dos maiores Ativos do Concelho. Sendo lamentável a ausência de posição ou projeto por parte da Gestão Camarária em matéria tão relevante.

Também o Turismo Rural (e suas variantes) são uma aposta da nossa Candidatura, e será traduzida na valorização de “espaços verdes”, “recuperação de fachadas”, e “circuitos turísticos”, para citar alguns exemplos.

Qual a sua opinião em relação à gestão que tem sido feita pela atual Câmara Municipal?

Além das questões já mencionadas. O CDS entregou em Sede própria três Requerimentos ao Sr. Presidente Câmara, solicitando esclarecimentos, no sentido de  saber o que  se passa com a Foral e que acordos foram feitos.

Outro dos documentos era relativo ao Contencioso entre a Autarquia e as Águas do Zêzere e Côa, sendo que a nossa preocupação são as “boas práticas contabilísticas” (ou a falta delas) e de que forma estão a ser usadas as Receitas, que se recebem mensalmente dos Fornenses da Conta da Água.

Também porque estamos na época de incêndios, questionei o Senhor Presidente á cerca da forma como está a fazer cumprir a legislação, isto no que confere ao asseio dos caminhos, o que é que tem feito e, que Verbas foram investidas na Proteção Civil.

Foi debatido em Assembleia Municipal o facto dos valores de arrendamento cobrados aos participantes da Feira de Fornos de Algodres se encontrarem demasiado altos, o espera que seja feito?

Eu vou apresentar uma Proposta de Alteração ao Regulamento do Arrendamento nos espaços na Feira.

Nesse sentido, é necessário diminuir significativamente a quantia que as pessoas têm que despender para estar na feira, vou sugerir apenas uma quantia simbólica e a gratuitidade da luz, mas também a fixação de contadores, para que não hajam qualquer tipo de abusos.

O Município tem que dar um sinal de que não quer que a Feira se extinga.

Ao longo destes quatro anos que evolução existiu no município de Fornos?

Nenhuma, aliás eu até tenho a sensação que ficamos congelados no tempo, mas volto a dizer que aquilo que tivemos estes quatro anos é da exclusiva responsabilidade do PS e do PSD.

Aproveito a ocasião para esclarecer os Fornenses, que nós antes e após as Eleições estamos perfeitamente equidistantes em relação quer ao PS, quer ao PSD.

 O CDS quer afirmar-se como um partido alternativo na governação das terras de Algodres.

Para a minha Candidatura  o importante é fixar Pessoas e Empresas e, não deixar partir mais ninguém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ao continuar a usar o site, você está a concordar com a utilização de cookies. mais informação

As configurações de cookies neste site são definidas para "permitir cookies" para fornecer a você a melhor experiência de navegação possível. Se continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, você concorda com isso.

Close