Diretor: Paulo Menano

CDS-PP questiona Governo sobre carência de especialistas na ULS

João Rebelo e Ana Rita Bessa, deputados do CDS-PP, questionaram o Governo sobre a carência de especialistas na Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda e a abertura de vagas para médicos recém-especialistas.

As questões foram colocadas à Assembleia da República por escrito. Os dois deputados pretendem saber se a ministra da Saúde, Marta Temido, tem conhecimento das carências existentes no Hospital Sousa Martins, gerido pela ULS/Guarda, “ao nível de várias especialidades médicas e do quadro de pessoal de enfermagem”. O CDS-PP considera que a situação que se vive na ULS/Guarda “é grave, sendo por isso fundamental obter esclarecimentos urgentes” por parte da ministra da Saúde, face ao “desinteresse do Governo pela saúde no distrito da Guarda, acentuado pela recente sub-orçamentação da ULS no Orçamento do Estado para 2019”.
O partido questiona ainda se a governante considera “suficiente o número de vagas abertas no recente procedimento concursal para médicos recém-especialistas” e se a decisão de atribuir à ULS “apenas seis das 57 vagas abertas para a região Centro contraria a propalada aposta” do Governo no combate à interioridade e à desertificação do interior.
João Rebelo e Ana Rita Bessa questionam ainda a titular da pasta da Saúde “quando serão abertas vagas para a ULS da Guarda para as especialidades de Anestesiologia, Anatomia Patológica, Gastrenterologia, Medicina Interna, Neurologia, Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Patologia Clínica, Pneumologia, Psiquiatria e Radiologia”.
Os deputados do CDS-PP lembram que no mais recente procedimento concursal para médicos recém-especialistas, das 57 vagas para a região Centro, apenas seis são atribuídas à ULS, nomeadamente em Cardiologia, Cirurgia Geral, Ginecologia/Obstetrícia, Ortopedia, Pediatria e Saúde Pública.
“As vagas agora abertas, além de não serem suficientes para cobrir as necessidades em Cardiologia, Ortopedia e Cirurgia Geral, deixam de fora outras especialidades deficitárias, como é o caso de Anestesiologia, Anatomia Patológica, Gastrenterologia, Medicina Interna, Neurologia, Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Patologia Clínica, Pneumologia, Psiquiatria e Radiologia, e impedem que os médicos que terminaram a sua especialidade em Medicina Interna e Psiquiatria na ULS da Guarda continuem no Hospital Sousa Martins, mesmo que assim o desejem”, apontam.
Na missiva, o CDS-PP manifesta a sua “preocupação sobre o futuro do Hospital Sousa Martins, temendo que esteja em causa o acesso da população a cuidados de saúde”. “O esvaziamento do Hospital Sousa Martins, e [o] eventual colapso desta unidade hospitalar, seria uma fortíssima machadada numa das regiões do Interior mais penalizadas”, referem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ao continuar a usar o site, você está a concordar com a utilização de cookies. mais informação

As configurações de cookies neste site são definidas para "permitir cookies" para fornecer a você a melhor experiência de navegação possível. Se continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, você concorda com isso.

Close